Para o psicólogo Julio Peres, da USP, a religião é uma alternativa para ajudar dependentes químicos a sair do mundo das drogas

A maior parte das famílias de jovens dependentes químicos tenta ajudá-los a sair do mundo das drogas, inclusive com medidas desesperadas. Mas de onde é possível tirar forças para superar o vício? Uma alternativa muito procurada é o apoio na religião.

“As religiões, em geral, ensinam o perdão, o amparo de Deus e a absolvição por meio do caminho do bem, fornecendo maneiras de pensar o mundo que atendem algumas necessidades dos jovens que buscam a libertação da dependência química”, explica Julio Peres, psicólogo clínico e doutor em neurociência e comportamento pela Universidade de São Paulo (USP).

Os jovens dependentes quase sempre perdem por algum tempo a estabilidade constituída para conduzir o dia a dia.

Para o psicólogo, isso pode favorecer o enfraquecimento da motivação para viver, o isolamento e a depressão, além dos efeitos deletérios da dependência à saúde. A busca de um novo significado e propósito para vida pode favorecer a superação da dependência química.

Assim, as crenças e práticas espirituais ou religiosas podem atender à necessidade desses jovens de buscar um sentido mais amplo e uma melhor qualidade para a vida.

“Crenças e práticas religiosas podem reduzir a sensação de perda do controle e de desamparo, fornecer uma estrutura cognitiva capaz de diminuir o sofrimento e, ainda, fortalecer o indivíduo para reconstrução de sua vida”, aponta Peres.

[b]Fonte: UOL[/b]