O papa Francisco chegou à Casa Branca para um encontro com o presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. No Twitter, o mandatário deu boas-vindas ao líder da Igreja Católica.

Barack Obama, agradeceu nesta quarta-feira (23) o papa Francisco por ter mediado a retomada das relações diplomáticas de seu país com Cuba, rompidas há mais de meio século.

“Somos gratos pelo impagável apoio dado ao nosso ‘novo início’ com o povo cubano”, disse Obama, em um discurso nos jardins da Casa Branca, ao lado do líder da Igreja Católica, que está em sua primeira visita oficial ao EUA, iniciada ontem.

[img align=left width=300]http://i0.statig.com.br/bancodeimagens/ep/dg/2m/epdg2mqzx2fiu0lk23gzhl5qi.jpg[/img]Em seu discurso, Obama definiu Francisco como uma pessoa de “coragem, simplicidade e generosidade”, e um líder que deve ser seguido como “exemplo”. Recordando que Jorge Mario Bergoglio é o primeiro Papa originário da América, e brincando que também foi o primeiro a divulgar sua encíclica pelo Twitter, Obama disse que Francisco faz as pessoas perceberem que dinheiro e poder não são atributos importantes.

“O jardim da Casa Branca nunca esteve tão lotado. Mas o espírito dessa reunião é somente uma pequena demonstração dos 70 milhões de católicos norte-americanos e do modo com que a sua mensagem de amor e de esperança inspirou tantas pessoas ao redor do mundo. É uma honra e um privilégio dar-lhe as boas-vindas aos Estados Unidos”, enfatizou o mandatário.

Referindo-se às crises imigratórias que atualmente atingem a Europa e que já foram alvo de polêmicas nos EUA com a chegada de mexicanos, Obama comentou que “o Papa nos lembra que a mais potente mensagem de Deus é a misericórdia”. “E isto significa acolher o estrangeiro com empatia e com o coração realmente aberto, pois tratam-se de refugiados que fogem de suas terras, laceradas pela guerra, ou imigrantes que deixam suas casas em busca de uma vida melhor”, disse.

Ainda em seu discurso, o líder norte-americano citou a encíclica (mais importante documento autoral de um Papa), publicada em maio. Intitulado “Laudato Sí” (Louvado Seja), o documento redigido por Francisco fala sobre as mudanças climáticas e a escassez de alimentos, além de fazer uma dura crítica ao modelo econômico atual de exploração de recursos naturais.

“Você nos recordou que temos uma obrigação sagrada de proteger o planeta, presente magnífico de Deus. Nós apoiamos o seu apelo dirigido a todos os líderes mundiais para sustentar as comunidades mais vulneráveis às mudanças climáticas e para nos unirmos na preservação do nosso precioso mundo às gerações futuras”, disse Obama.

Discursando em inglês, idioma que treinou durantes as férias, o Papa argentino também elogiou Obama em sua iniciativa contra as mudanças climáticas, divulgada em agosto e considerada o maior plano contra emissões de gases poluentes já elaborado pelos EUA.

“Senhor presidente, acho promissor que tenha proposto uma iniciativa para a redução do aquecimento global”, comentou o Pontífice. “Considerada a urgência, parece claro que a mudança climática é um problema que não pode ser deixado para as futuras gerações”, acrescentou.

“Citando as sábias palavras do reverendo Martin Luther King, podemos dizer que temos sido inadimplentes em alguns aspectos, e agora chegou o momento de honrá-los”, disse o Papa.

Apesar da clara menção de Obama à retomada diplomática com Cuba, Francisco foi sutil ao tocar neste assunto no discurso. “Os esforços para a recente reconciliação das relações e para a abertura de novas vias de cooperação dentro da família humana representam positivos passos para a justiça e liberdade”, comentou o líder católico.

Ele também fez um apelo para que “todos os homens e mulheres de boa vontade dos EUA apoiem os esforços da comunidade internacional para proteger os mais fracos no mundo e promover modelos integrais e inclusivos de desenvolvimento”.

Francisco encerrou seu pronunciamento dizendo “Deus, abençoe a América” e arrancando aplausou das milhares de presentes. Quebrando o protocolo da Casa Branca, uma pessoa gritou “We love you, Pope Francis” (“Nós amamos você, papa Francisdo”) quando o Pontífice encerrou sua pregação.

O líder católicou desembarcou ontem em Washington e foi recebido por Obama e sua família, incluindo a primeira-dama Michelle e suas filhas Sasha e Malia.

Nesta tarde, Francisco presidirá a cerimônia de canonização do beato Junípero Serra. Amanhã, fará um discurso no Congresso norte-americano e seguirá viagem para Nova York, onde participará da Assembleia Geral das Nações Unidas.

A última etapa da viagem do Papa pelos EUA é a Filadélfia, onde ocorrerá o Encontro das Famílias.

[b]Fonte: iG[/b]