Os dirigentes do Partido Liberal, o maior da oposição no Paraguai, decidiram no domingo, 17, apoiar a candidatura do ex-bispo católico Fernando Lugo às eleições presidenciais de 2008, com o compromisso de indicar o vice.

Com 604 votos a favor e 586 contra, a Convenção Nacional do Partido Liberal Radical Autêntico (PLRA), segundo maior do país, decidiu em Assunção apoiar a proposta apresentada pelos governistas.

A votação durou seis horas e teve agressões verbais entre dissidentes e governistas, que em várias ocasiões tiveram que ser contidos por policiais.

Os eleitores finalmente aprovaram a moção liderada pelo presidente do PLRA, deputado Blas Llano, que Lugo seja o candidato da Concertação Nacional (oposição) à Presidência e que o senador liberal Carlos Mateo Balmelli seja o vice.

A dissidência da organização partidária, representada pelo pré-candidato presidencial Federico Franco, governador do departamento Central, insistiu que o PLRA deveria ter candidatura própria dentro da Concertação.

Mas o irmão dele, Julio César Franco, ex-presidente liberal e ex-vice-presidente do Paraguai, disse aos jornalistas que “é preciso aceitar a votação do povo. Estamos firmes, acompanhamos a decisão. Já advertimos sobre a necessidade de um liberal concorrer à Presidência”.

Llano disse que o resultado da votação demonstra o interesse que a oposição se mantenha unida e avisou que elevarão a nova determinação à plenária da Concertação, formada pelos principais partidos de oposição e mais 30 movimentos sociais e sindicatos.

A aliança continua na busca de um candidato de consenso que a represente para tentar derrotar o Partido Colorado, no poder há 60 anos.

Lugo, favorito das pesquisas e que renunciou à batina em dezembro para se dedicar à política, também faz parte da Concertação.

O Vaticano não aceitou a renúncia dele e o suspendeu “a divinis” em fevereiro.

Durante a Convenção do PLRA, também foi lida uma carta dele, quem está nos Estados Unidos promovendo sua candidatura perante os paraguaios residentes nesse país.

A carta de Lugo exorta os liberais a se manterem unidos, afirmando que “juntos construiremos um verdadeiro governo popular”, e acrescenta que está convencido que “o PLRA será governo em 2008”.

No sábado, o minoritário Partido Encontro Nacional (PEN), que integra a Concertação, também decidiu apoiar a candidatura à Presidência do ex-bispo.

Fonte: Estadão