Uma organização islâmica de Gaza até então desconhecida ameaçou ontem fazer represálias contra a minoria cristã se o Papa Bento XVI não pedir desculpas pelas declarações feitas na cidade alemã de Regensburg, nas quais supostamente atacou o Islã.

Em comunicado enviado à agência de notícias palestina “Ramatan”, o autodenominado “Exército Mehdi” exige um “pedido de perdão em forma expressa” do Papa. Não se sabe se há uma conexão entre esta organização e a de mesmo nome existente no Iraque.

O grupo islâmico afirmou em comunicado que quem estiver em lugares onde há cristãos “correrá perigo”.

Os organismos de segurança da Autoridade Nacional Palestina (ANP) não possuíam nenhuma informação sobre o “Exército Mehdi”.

Do total de 1,4 milhão de palestinos que vivem na faixa de Gaza, apenas 4 mil são cristãos, em sua maioria ortodoxos, portanto alheios à Igreja Católica Apostólica e Romana, cujo chefe supremo é o Papa.

O Mufti, a máxima autoridade islâmica na Terra Santa, com sede em Jerusalém, também declarou hoje a jornalistas que a explicação dada por Bento XVI “é insuficiente” e pediu que ele “peça desculpas às claras”.

Fonte: EFE