Pela primeira vez na história das campanhas eleitorais americanas, os candidatos democratas à Casa Branca participam nesta quinta-feira em um debate televisado dedicado exclusivamente aos direitos dos homossexuais.

Seis dos oito pré-candidatos democratas debaterão ante um painel de jornalistas e ativistas sobre temas como casamento gay, união civil, discriminação, homossexuais no exército, adoção e educação sexual.

Durante as eleições presidenciais de 2004, estes temas – principalmente o casamento homossexual – dividiram profundamente o eleitorado americano e provocaram uma afluência em massa às urnas de eleitores da direita religiosa, que votam nos republicanos.

“No contexto da eleição presidencial de 2008, não há dúvida alguma que as preocupações da comunidade homossexual e transsexual já fazem parte do debate nacional”, indicou Joe Solmonese, um dos organizadores do encontro e presidente da Human Rights Campaign, organização de defesa dos direitos humanos dos homossexuais.

Apesar de todos os candidatos democratas se declararem contra a discriminação em relação aos gays e a favor do reconhecimento legal de seus direitos, apenas dois deles, Dennis Kucinich e o ex-senador Mike Gravel, se declaram a favor do casamento homossexual. E os dois estão muito abaixo nas pesquisas.

Os senadores Hillary Clinton e Barack Obama, os dois favoritos, evitam assumir uma posição a respeito no momento.

Em sua grande maioria a comunidade homossexual americana vota tradicionalmente nos democratas e alguns ativistas da causa gay não têm ilusões sobre o alcance do debate dos candidatos em relação a questões tão importantes para eles.

Fonte: AFP