O padre chileno Luis Eugenio Silva foi hospitalizado nesta quinta-feira após uma tentativa de suicídio.

O sacerdote chileno Luis Eugenio Silva, ex-secretário particular do falecido cardeal Raúl Silva Henríquez, foi hospitalizado nesta quinta-feira após uma tentativa de suicídio, depois de ter sido denunciado por supostos abusos sexuais. O bispo auxiliar de Santiago, Cristián Contreras, confirmou nesta tarde que o sacerdote tentou suicidar-se atingido por um “profundo quadro depressivo” e por uma “angustiante situação pessoal”.

Contreras acrescentou que o religioso sofre de um câncer de pele e que por isso, o arcebispado “tinha dado início a um processo de acompanhamento”. Questionado se Silva estava sendo investigado por suposto abusos sexuais, o bispo disse que o arcebispado não recebeu uma denúncia oficial, mas “talvez possa ser parte do quadro que lhe afetou”.

Segundo informa o site do jornal El Mercurio, o religioso de 70 anos foi transferido na quarta-feira a uma clínica da capital chilena, na qual já recebeu alta, apesar de estar internado nesta quinta-feira em outro centro médico particular. Os casos mais famosos de pedofilia na Igreja Católica chilena envolveram Fernando Karadima, um influente guia espiritual, formador de mais de 40 sacerdotes, entre eles cinco bispos, e Isabel Lagos Droguett, conhecida como Soror Paula, diretora no Chile das freiras de Santa Úrsula.

O sacerdote Silva, um historiador, foi professor nas universidades Finis Terrae e Católica e foi secretário pessoal do cardeal Raúl Silva Henríquez, um grande defensor dos direitos humanos durante a ditadura de Augusto Pinochet (1973-1990).

[b]Fonte: Terra[/b]