O padre de Chicago que ironizou a pré-candidata democrata à Presidência dos EUA Hillary Clinton e reacendeu polêmicas em torno do também pré-candidato Barack Obama esteve neste domingo perante os fiéis de sua paróquia e pediu desculpas.

Michael Pfleger disse que não é racista ou sexista e afirmou que os últimos dias foram “o mais penosos” de sua vida.

“Peço desculpas por qualquer pessoa que tenha sido ofendida e que pensou que fosse zombaria”, disse ele em sua igreja. “Isso não foi minha intenção e não estava em meu coração”, acrescentou

Pfleger disse que ele já recebeu mais de três mil e-mails irritados e ameaçadores desde que realizou o sermão como religioso convidado na antiga igreja de obama, a Igreja da Trindade Unida de Cristo, no domingo passado (25).

Durante o sermão, o padre fingiu ser Hillary chorando e afirmando que via “um homem negro roubar o show”.

Pfleger é um padre católico branco que já recebeu o líder islâmico Louis Farrakhan em sua igreja e foi preso dezenas de vezes. Ele provocou desentendimentos com muitas pessoas que considerava prejudicar sua paróquia: de vendedores de armas a uma liga católica de esportes, segundo a agência Associated Press.

Atualmente, o padre anunciou seu apoio a Obama e contribuiu com doações à campanha do senador. Quando Obama estava no Legislativo de Illinois, ele ajudou a igreja de Pfleger com mais de US$ 200 mil (R$ 325,4 mil).

Pfleger é amigo do ex-pastor de Obama Jeremiah Wright, de quem o senador se afastou em abril devido a polêmicos discursos do religioso.

Wright afirmou em um sermão que os EUA são um país “essencialmente racista” e modificou a famosa frase “Deus abençoe a América” para “Deus amaldiçoe a América”.

Fonte: Folha Online