Um sacerdote católico de 64 anos abandonou sua paróquia após ser acusado de abusar de uma menina, há 30 anos, na Austrália. Segundo a polícia, os crimes ocorreram entre 1977 e 1981, quando o acusado trabalhava como padre em uma paróquia de Ipswich, no Estado de Queensland.

A vítima, cuja identidade não foi revelada, tinha 12 anos quando começou a ser abusada. O sargento Les Hutton, que investiga o caso afirmou que o religioso foi intimado a comparecer ao Tribunal de Ipswich em julho para prestar depoimentos sobre o caso.

Ao menos 110 membros da Igreja Católica já foram condenados na Austrália por abusos sexuais, segundo dados da organização Broken Rites. Em torno de mil pessoas denunciaram terem sido abusadas no país.

O papa Bento 16, durante sua visita a Sydney em julho do ano passado, se reuniu com quatro vítimas e expressou sua pena por todo a dor e sofrimento que passaram.

Fonte: Folha Online