Os pais das três garotas cristãs que foram decapitadas no ano passado, em Poso, Sulawesi Central, na Indonésia, perdoaram os assassinos de suas filhas.

No dia 20 de novembro, a polícia indonésia organizou um encontro entre famílias das vítimas e os três terroristas, que estão em julgamento. Hasanuddin, que planejou o triplo assassinato, disse várias vezes que tinha se arrependido e expressou sua profunda tristeza, juntamente com seus dois cúmplices, Irwanto e Haris.

Em lágrimas, a mãe de um das garotas disse que estava pronta para perdoá-los. Os militantes islâmicos e as famílias cristãs se abraçaram e apertaram as mãos em sinal de paz.

O porta-voz da polícia disse que “o encontro de Poso não tem fins políticos a não ser promover a harmonia” e que as forças policiais tinham apenas facilitado o encontro. Sutanto, chefe de polícia, descreveu o encontro como um “momento histórico”, quando as vítimas e os assassinos puderam “trocar seus mais profundos sentimentos e buscar o perdão”.

O vice-presidente da Indonésia, Jusuf Kalla, disse esperar que o encontro fosse “uma oportunidade para levar a paz a Poso”.

No dia 29 de outubro de 2005, quatro estudantes cristãs, todas com idades por volta de 15 anos, voltavam a pé para casa. Três foram atacadas e decapitadas por homens que portavam facões na região de Gebang Rejo, em Poso. O caso indignou a opinião pública e foi duramente condenado pelo presidente indonésio Susilo Bambang Yudhoyono.

Hasanuddin, Irwanto e Harris confessaram o crime e podem ser condenados à morte. Os acusados disseram que atacaram as jovens para vingar a morte de muitos muçulmanos durante os conflitos inter-religiosos de Poso entre 1998 e 2001.

Fonte: Portas Abertas