O Papa da Igreja Copta egípcia, Shenuda III, acusou os Estados Unidos de introduzirem o sectarismo no Iraque e assegurou, em entrevista ao semanário independente “El Osboa”, que Washington não pode impor a divisão do país em três entidades.

“Com sua ocupação do Iraque, os EUA aprofundaram o sectarismo, algo que o Iraque não tinha sofrido durante (a época do ex-presidente iraquiano) Saddam Hussein”, afirmou Shenuda III, Papa dos coptas no Egito e no Oriente Médio.

O Papa Shenuda não costuma fazer declarações políticas, mas quando faz se alinha com as posturas oficiais egípcias, e, neste sentido, vários responsáveis egípcios já se pronunciaram contra a idéia da partilha do Iraque.

“Saddam governava o Iraque com mão dura, mas, quando deixou o poder, começou a fragmentação interna e foi fácil cair na armadilha do sectarismo”, explicou.

A máxima autoridade religiosa cristã no Egito considerou que os EUA não podem dividir o Iraque em três entidades – curda no norte, xiita no sul e sunita no centro – e insistiu em que só os iraquianos podem decidir o futuro do país.

“Se os iraquianos querem manter seu país intacto e unido, podem conseguir isso. Nenhum país poderá forçá-los a aceitar algo que não queiram”, afirmou Shenuda, referindo-se à resolução emitida em 26 de setembro pelo Senado americano que recomenda a divisão do Iraque em três entidades federais.

O Papa copta considerou que, “no final, se imporá o desejo do povo” iraquiano.

Sobre a próxima conferência internacional de paz que será realizada em novembro, nos Estados Unidos, Shenuda considerou que “está cercada de ambigüidades”, mas se recusou a fazer mais comentários.

Fonte: EFE