O Papa Bento XVI disse hoje que a Igreja primitiva é um modelo para a sociedade, devido à solidariedade entre seus membros, e que o Criador é o Deus da condescendência e por isso é chamado também “pai terno”, médico das almas, mãe e amigo afetuoso”.

O Papa fez estas manifestações diante de 20 mil pessoas que assistiram na Praça de São Pedro à audiência pública das quartas-feiras, cuja catequese foi novamente dedicada a São João Crisóstomo, um dos pais da Igreja, bispo de Constantinopla, nascido em Antioquia no ano 347 e morto em 407.

O Pontífice ressaltou que João Crisóstomo projetou a reforma de sua Igreja com mais atenção na “reforma do palácio episcopal, que devia ser exemplo para todos, começando com o clero, seguindo com os monges e depois com os fiéis”.

Por seu comprometimento com os pobres, o bispo de Constantinopla foi chamado “o esmoleiro”, disse o Papa, que acrescentou que o santo entendeu que não basta dar esmola, é necessário criar estruturas para que todos possam ter acesso aos bens da terra.

Segundo o Papa, João Crisóstomo pode ser considerado um pai da Doutrina Social da Igreja.

Apesar de sua bondade, João Crisóstomo foi vítima de intrigas políticas e condenado ao exílio, de onde escreveu várias cartas pastorais, acrescentou o Bispo de Roma.

O santo de Antioquia quis que os fiéis, por meio de suas cartas, descobrissem quem é o Criador e a Criatura, acrescentou Bento XVI.

“Meditando sobre o livro do Gêneses guiou os fiéis da criação ao Criador, que é o Deus da condescendência e por isso chamado também Deus terno, médico das almas, mãe e amigo afetuoso”, disse o Papa.

Para o Pontífice, Crisóstomo “une o Deus Criador e o Deus Salvador, já que Deus desejou tanto a salvação do homem que não se reservou a seu único Filho”.

O santo de Antioquia, prosseguiu o Papa, propôs o modelo de Igreja primitiva, “desenvolvendo uma utopia social, quase uma cidade ideal, já que tratava de dar um caráter cristão à cidade, enfrentando os principais problemas, principalmente as relações entre ricos e pobres através de uma inédita solidariedade”.

Bento XVI foi ao Vaticano somente para a audiência, e, ao fim desta, retornou à residência de verão de Castelgandolfo, cerca de 30 quilômetros ao sul de Roma.

O Pontífice volta em definitivo ao Vaticano no dia 3.

Fonte: EFE