Após anos de especulações de que o papa Bento 16 usava sapatos da grife Prada, o jornal oficial do Vaticano negou a história, chamando-a de “frívola”.

No ano passado, a revista “Esquire” classificou os sapatos do pontífice como o “acessório do ano”. Os fashionistas diziam que os calçados de couro vermelho provavelmente eram feitos pela grife italiana.

Como o Vaticano não negava nem confirmava a informação, os rumores continuaram a circular, até que o “Osservatore Romano” publicou uma nota condenando as matérias que, segundo o jornal, deram um ar de futilidade à autoridade máxima da Igreja Católica.

A inclusão do papa na lista da “Esquire” de homens mais bem vestidos do mundo foi, segundo o jornal, “de uma frivolidade que é muito característica de uma era que tende a banalizar e não compreender”.

O artigo explica que os sapatos do papa, assim como sua coleção de chapéus extravagantes, não têm nada a ver com vaidade, mas sim com tradição. “Resumindo, o papa não veste Prada, mas Cristo”, disse.

O artigo não especificou quem faz os sapatos do religioso.

As roupas de Bento 16 costumam chamar atenção. Em recentes passagens pela praça São Pedro, ele se protegeu do sol com um chapéu de enorme aba conhecido como “Saturno”, devido aos anéis do planeta.

No Natal de 2005, ele encantou os romeiros ao aparecer com um gorro vermelho e uma capa escarlate, ficando parecido com Papai Noel.

O “Osservatore” informou que os acessórios estão longe de ser itens fashion. Na verdade, são peças papais tradicionais, usadas por diferentes pontífices ao longo da história.

Fonte: Folha Online