Dez parlamentares jordanianos apresentaram uma proposta de lei ao presidente da Câmara Baixa na qual pedem o cancelamento do acordo de paz que seu país assinou com Israel em 1994, disseram fontes parlamentares.

Esta proposta recebeu a assinatura dos seis deputados no Parlamento da Frente de Ação Islâmica (FAI, braço jordaniano dos Irmãos Muçulmanos), assim como de quatro deputados governistas.

O projeto inclui cinco razões para revogar o tratado, entre elas um suposto plano do ex-primeiro-ministro de Israel, Ariel Sharon, de invadir aJ ordânia em 2003.

Também citam os “crimes premeditados sobre solo jordaniano”, em alusão à tentativa de assassinato contra Khaled Mashaal, chefe político do grupo islâmico Hamas, a cargo de dois agentes dos serviços de inteligência israelenses (Mossad), em 1997.

Outros motivos para esta moção são “a rejeição israelense a iniciar as resoluções da ONU” e a execução de “genocídio e crimes contra a humanidade” nos territórios palestinos.

Segundo fontes diplomáticas, esta proposta tem poucas chances de ir adiante no Parlamento, controlado por um grande maioria pró-governamental.

Fonte: EFE