A Rede de Liberdade Dalit elogiou na semana passada a aprovação de uma resolução sugerida pelo Comitê do Desenvolvimento do Parlamento da União Européia (UE) em relação aos dalits (ou “intocáveis”) na Índia.

A resolução diz que as leis de proteção aos dalits são “grosseiramente inadequadas” e também acentua as atuais atrocidades que os dalits sofrem, incluindo trabalho infantil, limpeza manual de fossas, analfabetismo, violência e desprovimento de terras.

“Essa resolução é um passo importante para encorajar as nações da UE e de todo mundo a se posicionarem contra a perseguição desumana que os dalits sofrem em toda a Índia”, disse Joseph D”souza, Presidente Internacional da Rede de Liberdade Dalit. “Os membros da UE e seus aliados devem seguir essa resolução com firmeza, engajando a Índia na questão dos “intocáveis” e assegurando que os dalits se beneficiem da ajuda direta do Banco Mundial, do Fundo Monetário Internacional e de outras organizações de desenvolvimento.”

A resolução da UE segue na linha de diversos ataques notórios contra os dalits, incluindo o estupro e assassinato da esposa e dos filhos de Bhaiyyalal Bhotmange em 30 de setembro de 2006. Bhaiyyalal estava engajado em atividades pró-dalits.

Joseph ainda diz: “esperamos que o Congresso dos EUA e os parlamentos de cada país europeu sigam essa resolução com leis similares. Acabar com a discriminação de castas, como acabar com o apartheid, precisará da ajuda da comunidade internacional.”

A Rede de Liberdade Dalit faz parceria com a Confederação Geral da Índia e com o Conselho Geral de Cristãos da Índia, que trabalham para apoiar os dalits em seu movimento de emancipação através da educação, cuidados de saúde, desenvolvimento de saúde e defesa de direitos humanos.

Fonte: Portas Abertas