Em 11 de março, policiais e membros de um grupo extremista hindu em Andhra Pradesh atraíram um pastor a uma floresta remota, onde ele foi amarrado e agredido com bastões de madeira. Ele foi acusado de oferecer dinheiro aos hindus para se converterem ao cristianismo.

O pastor Bakhthula Anand, 48 anos, da Casa de Oração Betesda, na vila Ambojipeta, distrito de Medak, está internado por causa do inchaço e exaustão em seu corpo, depois de ter tentado voltar para casa na manhã de 12 de março, às 9 horas, embora ele mal pudesse andar. Seus pulsos e tornozelos estavam sangrando e inchados, depois que extremistas do Rashtriya Swayamsevak Sangh (RSS) o desamarraram e o deixaram no meio da floresta às 3 horas da manhã.

No dia anterior, enquanto o pastor Bakhthula lia a Bíblia em sua casa adjacente à igreja, dois policiais foram até lá dizendo que o inspetor policial da região de Ramayampet queria se encontrar com ele.

“Enquanto andávamos, a uma curta distância, um grupo de 25 a 30 extremistas hindus do RSS se juntou a nós”, contou o pastor.

Um pouco mais tarde, os extremistas do RSS empurraram o pastor Bakhthula, cercando-o, e o obrigaram a caminhar em direção à floresta, a seis quilômetros da vila Ambojipeta. Os policiais desapareceram em meio à confusão.

Cordas e bastões

“O pastor reconheceu um dos extremistas – embora não saiba seu nome – pois o suspeito tinha ido algumas vezes aos cultos dominicais na Casa de Oração Betesda ao longo dos últimos seis meses”, disse Sajan George, presidente do Conselho Global de Cristãos Indianos (GCIC).

O pastor Bakhthula notou que um dos extremistas do RSS carregava uma sacola com cordas e bastões de madeira.

“Eles me levaram a uma área isolada no interior da floresta, amarraram minhas mãos e meus pés. Os ativistas do RSS me batiam, dizendo que eu usava dinheiro para seduzir as pessoas para se converterem ao cristianismo”.

A pessoa que freqüentou cultos da igreja Betesda alegou em voz alta que havia visto o pastor Bakhthula mandando as pessoas se converterem. Ele também acusou o pastor de prometer às pessoas uma condição econômica melhor se elas aceitassem Jesus.

Os extremistas o agrediram com bastões de madeira, enquanto o interrogavam nas primeiras horas da madrugada.

O inspetor policial da região de Ramayampet Yadagiri Raju e Anil Kumar, subinspetor da sub-delegacia de Shankarampet, disseram que não chamaram o pastor Bakhthula à delegacia e que não sabiam do ataque contra ele.

Os médicos de uma clínica particular em Ambojipeta estavam examinando os ferimentos internos do pastor.

Rede de espionagem

Lionel Francis, coordenador do Conselho Global em Telangana, disse ao Compass que ele esperava o laudo médico antes de fazer o boletim de ocorrência.

Lionel disse que esse é um padrão de comportamento do RSS nessa região de Telangana. “O RSS dirige uma rede bem conhecida de espionagem, para atacar os pastores independentes. Eles participam de reuniões de oração, passam a informação e então armam para atacar os pastores.”

Na área de Telangana, ele acrescentou, membros do grupo juvenil do RSS invadem com freqüência reuniões de oração e fazem comentários grosseiros aos pastores que andam pela rua, além de ameaçarem agredi-los.

“Mas não pode ser feito nada, já que eles têm o apoio tácito da polícia”, contou Lionel. “Às vezes, esse pessoal do RSS se disfarça de polícia e leva os pastores à floresta e os mata lá.”

O pastor Bakhthula fundou a Casa de Oração Betesda em 1995 e tem uma congregação de cerca de 200 cristãos. Ele tem uma rede de pequenas igrejas que ele iniciou na região de Telangana.

Fonte: Portas Abertas