Às 19 horas do dia 25 de fevereiro (10 horas no horário de Brasília), um grupo de 70 a 80 extremistas hindus, supostamente ligados ao Bajrang Dal, cercou a casa do pastor T.N. José no momento em que ele começava suas orações vespertinas em sua casa na vila de Surgi, distrito de Rajnandgaon.

O grupo maltratou o pastor e ameaçou matá-lo se ele não deixasse a vila até a segunda-feira, 26 de fevereiro. José pastoreia a igreja Missão Indiana das redondezas.

Temendo por sua vida, o pastor José saiu da vila e se abrigou na casa do pastor T.M. Babu, na cidade vizinha. O pastor José disse que o grupo de extremistas, liderado por Rohit Chandrakar, lhe dera um ultimato para sair da vila – senão ele seria esquartejado. Eles acusaram o pastor de converter aldeãos à força e o obrigaram a assinar um documento afirmando que aquele era o motivo pelo qual ele viera à vila. O documento também dizia que o pastor não estava sendo obrigado a deixar a vila.

Os extremistas tomaram a irmã do pastor, que é médica e dirige uma clínica em Surgi. Eles a mantiveram em seu poder por um dia inteiro, fazendo-a andar pela vila com eles até a tarde do dia 26, declarando que eles não iriam deixá-la até que o irmão dela fosse encontrado. Ela foi libertada naquela noite. A médica atravessou a perigosa mata e chegou à área onde seu irmão a encontrou e a levou em segurança. A clínica dela está fechada desde então, por causa das ameaças dos extremistas hindus.

Um cristão da vila Surgi telefonou para o pastor José para dizer-lhe que os fundamentalistas hindus, com a mídia local, entrevistaram diversos cristãos da Missão Indiana tentando trazer má reputação à igreja e aos cristãos da vila. Entre 20 a 25 aldeãos congregam na igreja Missão Indiana da vila Surgi. José tem trabalhado na área pelos últimos quatro anos.

Soube-se também que a mídia gravou um vídeo da clínica da irmã do pastor e das declarações feitas pelos cristãos da vila na presença dos fundamentalistas hindus.

Mais tarde, um cristão chamado Bhagwat, que não é da igreja da Missão Indiana, telefonou para o pastor José e afirmou que alguns cristãos da vila estavam sendo agredidos.

Fonte: Portas Abertas