Com uma média de sete livros lidos por ano, os estudantes da 6ª série da escola St. Joseph’s, nos Estados Unidos, não vão poder mais ler alguns dos títulos seus preferidos: Harry Potter.

O pastor da instituição, Ron Barker, removeu os livros da biblioteca, justificando que as obras de J.K. Rowling não são uma leitura apropriada para uma escola católica, informou o jornal The Boston Globe.

“Ele diz acreditar que as crianças seriam fortes o suficiente para resistir à tentação, mas afirma que é seu trabalho protegê-las”, disse uma mãe de aluno que não quis se identificar. É a primeira vez que os livros do Harry Potter são banidos em Bay State, no Estado de Massachusetts. No entanto, o interesse dos alunos pelo tema tem sido tão controverso quanto popular.

A decisão deixou alguns pais de alunos da escola desapontados. “Em primeiro lugar, eu estou desapontado que isso tenha sido feito. E ainda mais porque isso foi feito sem consultar ninguém”, disse Rick Hudson, que tem três filhos na escola. Mas as opiniões variam. “Eu penso que foi feita a coisa certa. Acredito que os livros tenham sido retirados para o bem das crianças”, disse uma mãe que não quis se identificada.

Grupos em no mínimo 17 Estados tentaram banir Harry Potter desde a sua primeira publicação, em janeiro de 1998, fazendo com que a série ganhasse a denominação de “os mais contestados livros do século XXI” da Associação Americana de Bibliotecas. “A controvérsia gira em torno da magia e temas ocultos”, disse Deborah Caldwell, diretora do escritório de liberdade intelectual da associação.

Fonte: Aquidauana News