Dmitry Shestakov, pastor de uma igreja evangélica em Andijan, Uzbequistão, pode ser condenado a 20 anos de prisão. Seu julgamento deve ser realizado em breve.

Dmitry, de 37 anos, foi preso em 21 de janeiro pela polícia secreta uzbeque e acusado de “incitar animosidade nacional, racial e religiosa” e de “produção e distribuição ilegais de literatura que promove dissensão religiosa” (leia mais).

Dmitry tem tido conflitos com a polícia secreta desde junho de 2006, quando se recusou a dar à polícia uma lista dos membros de sua igreja. Ele foi obrigado a fugir com sua mulher e filhos quando o promotor regional o acusou de traição. Ele foi preso quando sua família se mudou para uma cidade vizinha.

A perseguição aos cristãos aumentou no Uzbequistão nos últimos anos, levando o Departamento de Estado dos Estados Unidos a acrescentar o país à sua lista dos maiores violadores da liberdade religiosa. Muçulmanos radicais no país oprimem os cristãos, e o governo os reprime como parte de sua luta contra o radicalismo islâmico.

Fonte: Portas Abertas