Três anos antes da realização da Copa do Mundo de 2010, ativistas já se mostram preocupados com o turismo sexual infantil na África do Sul. Eles apontam problemas de pobreza e desemprego no país, o que pode incentivar esse tipo de prática em um evento dessa dimensão.

O tema foi abordado nesta terça-feira durante evento na Cidade do Cabo.

“A África pode se tornar em uma nova Tailândia, há um risco grande”, afirmou Jennifer Seif, diretora executiva da Fair Trade in Tourism SA, organização criada para explorar o turismo legal em países como a África do Sul.

De acordo com Jennifer, a pedofilia já acontece com freqüência no país, com meninas de 14 e 15 anos, mas que crianças com menos idade também correm esse risco.

A polícia da África do Sul afirmou que não foi identificado no país, casos de turismo sexual infantil. “Apesar disso, o combate de crimes contra mulheres e crianças são prioridade para a polícia do país e continuaremos dando atenção a essa prioridade”, afirmou o porta-voz da polícia Vishnu Naidoo.

Jennifer Seif tenta convencer a África do Sul e outros países da região a assinar um código de conduta para que estas nações treinem mão-de-obra para a indústria do turismo e para que ajudem a combater casos de exploração sexual infantil. O código foi fundado pela Unicef.

Fonte: Terra