Sobre a teologia do fim dos tempos, 65% dos líderes evangélicos se identificam com o pré-milenismo.

A Associação Nacional dos Evangélicos (NAE sigla em inglês) realizou uma pesquisa com seu conselho de diretores, que incluí os Diretores Executivos das denominações e representantes de um vasto leque de organizações evangélicas sobre suas crenças escatológicas.

Sobre essa teologia do fim dos tempos, 65% dos líderes evangélicos se identificam com o pré-milenismo que acredita que Jesus Cristo irá retornar à Terra e então reinar com seus seguidores por 1.000 anos.

Outros 13% dos entrevistados são amilenistas, isso é, que acreditam que o reino milenar não literal de Cristo está acontecendo agora enquanto Cristo reina à direita do Pai.

Já 4% acredita que a segunda vinda de Cristo que irá ocorrer depois do período de 1.000 anos durante o qual as nações irão progressivamente estar convertidas ao Cristianismo, teologia que é chamada de pós-milenista. E 16% entretanto, identifica-se com a teologia final “outros” tempos.

Porém os pré-milenistas discordam quanto ao período do arrebatamento, se os Cristãos irão subir e unir-se a Jesus durante ou depois do período de tribulação – que vem antes do retorno de Cristo.

Dadas as várias visões sobre o fim dos tempos, a Open Bible Churches, uma associação de Igrejas Evangélicas Pentecostais Carismáticas, alterou sua Declaração de Fé para dar aos ministérios e constituintes uma liberdade maior nos ensinamentos escatológicos.

A declaração de fé da Open Bible Chuches sobre a segunda vinda de Cristo afirma simplesmente: “Nós acreditamos que a segunda vinda de Cristo será pessoal, visível e triunfante”.

[b]Fonte: Gospel Prime com informações The Christian Post[/b]