A Polícia Federal está investigando o sumiço de cinco peças históricas do Mosteiro de São Bento, no centro do Rio. A mais valiosa é uma imagem em madeira do século 19, representando a Esperança. As demais peças são dois cálices e dois discos de prata usados para colocar a hóstia durante a missa.

De acordo com o superintendente regional do Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional), Carlos Fernando Andrade, o roubo provavelmente aconteceu entre 2006 e 2007, durante uma reforma no mosteiro, mas só agora foi notado.

Os furtos em museus e igrejas têm sido freqüentes no Rio de Janeiro, que já viu desaparecer mais de 500 peças de seu patrimônio histórico nos últimos anos, basicamente pela falta de segurança nesses locais. Muitos desses materiais são vendidos em lojas de antiguidades e outra parte segue para o mercado internacional de arte, na Europa, nos Estados Unidos, no Japão e mesmo no Mercosul.

Segundo Andrade, é necessário cuidado antes de se comprar uma peça histórica, para não acabar se envolvendo com produto de roubo. “O comprador tem que procurar saber a origem da peça e verificar junto ao Iphan se não é roubada”. No site do Iphan há uma lista, com fotos, dos bens roubados. Denúncias podem ser feitas para o endereço eletrônico ouvidoria.6sr@iphan.gov.br.

Fonte: Folha Online