A reitoria da Nova Ulbra (Universidade Luterana do Brasil), com sede em Canoas, contratou a empresa de consultoria KPMG Corporate para fazer diagnóstico da instituição e indicar alternativas para saldar compromissos fiscais e equilibrar o caixa, depois da situação falimentar deixada pela direção demissionária.

A nova administração, que assumiu em abril de 2009, introduziu um Comitê de Caixa, além do Comitê Gestor de Crise, fundamentais na organização da rotina financeira da instituição.

O reitor Marcos Fernando Ziemer informou os delegados da 60ª Convenção Nacional da Igreja Evangélica Luterana do Brasil (IELB), reunida em Foz do Iguaçu de 21 a 25 de abril, que o Plano de Reestruturação da Ulbra, elaborado pela KPMG, ainda é confidencial.

O relatório aponta, porém, em linhas gerais, para o reposicionamento competitivo das unidades de ensino, apresenta formas de consolidação das projeções financeiras e dispõe de alternativas para o financiamento do Plano de Reestruturação.

Ziemer mostrou ao plenário números e dados estatísticos da Ulbra. Destacou que o problema da instituição não é acadêmico e sim financeiro. Mesmo com as perspectivas delineadas pela empresa de consultoria, o reitor frisou que “o pior não passou, o pior começa agora”, com a reestruturação financeira da universidade.

A dívida fiscal da Ulbra é calculada em 2 bilhões de reais (cerca de 1,17 bilhão de dólares), segundo dados da imprensa. O ex-reitor da instituição, pastor Ruben Becker, contesta esse valor, alegando que a dívida fiscal não passa de 350 milhões de reais.

Fonte: ALC