Apesar da prisão de um suspeito na noite de sexta-feira (18), a polícia de Ilicínea, em Minas Gerais, trabalha com a hipótese de que a morte do monsenhor Francisco Figueiredo tenha sido acidental.

O corpo do pároco da cidade foi encontrado na manhã de segunda-feira (13), com marcas de queimaduras, no banheiro da casa paroquial, que foi incendiado.

O comandante do destacamento da Policia Militar de Ilicínea, Edivaldo Pereira da Silva, recolheu objetos que estavam na casa paroquial, entre eles restos de um calçado, pedaços de tecido e uma faca. O material fez o PM suspeitar que o incêndio possa ter sido causado por alguém que ateou fogo no banheiro da casa, onde o religioso, de 85 anos, morava sozinho.

O material foi encaminhado para a Policia Civil. O perito Pedro Alcântara, que esteve no local no dia em que o corpo do monsenhor foi encontrado, afirma que houve um curto-circuito no chuveiro, causa mais provável do incêndio. Segundo o perito, não havia sinais de violência nem indícios de combustível no banheiro.

Segundo o delegado regional João Simões, a morte do monsenhor foi causada pela inalação de fumaça, mas como surgiram novos fatos, a prisão temporária de um suspeito foi pedida e acatada pela Justiça. A prisão temporária tem prazo de cinco dias, prorrogáveis por mais cinco. As informações são da EPTV.

Fonte: Gazeta Online