O chefe de uma seita polígama fundamentalista, que figurava na lista das 10 pessoas mais procuradas pela polícia federal americana (FBI), foi preso em Nevada (sudoeste), anunciaram nesta terça-feira as autoridades.

Warren Jeffs, de 50 anos, dirigente da igreja fundamentalista de Jesus Cristo dos Santos do Últimos Dias (FLDS), uma seita que teria cerca de 10.000 membros, era procurado por agressão sexual a uma menor no Arizona (sudoeste) em 2002. As autoridades do Estado do Utah o acusam de cumplicidade na agressão.

Jeffs é suspeito de ter organizado “casamentos” ilegais entre adolescentes ou pré-adolescentes e homens mais velhos no seio da seita.

O FBI oferecia uma recompensa de 100.000 dólares por sua captura. O suspeito foi preso na noite de segunda-feira ao norte de Las Vegas, quando o carro em que viajava foi interceptado pela polícia rodoviária de Nevada (NHP). Um de seus irmãos e uma de suas mulheres o acompanhavam.

“Ele foi interrogado sem incidentes”, declarou à AFP o tenente Steve Cabrales, da NHP.

Por sua vez, um agente do FBI em Las Vegas, David Nanz, indicou à AFP que Jeffs tinha “uma grande quantia de dinheiro, várias perucas e aparelhos de transmissão de rádio”.

Ele figurava desde maio na lista das 10 pessoas mais procuradas pelo FBI, entre os quais está o líder da rede terrorista Al-Qaeda, Osama bin Laden.

Segundo Nanz, o suspeito “será extraditado para um dos (dois) Estados”: Utah e Arizona.

A FLDS é uma dissidência da igreja mórmon em que alguns membros praticam a poligamia, ilegal desde 1862 nos Estados Unidos e abandonada em Utah pelos mórmons em 1890, quando este Estado ainda não havia sido incorporado à federação.

Fonte: AFP