Bento XVI acolheu ontem pela manhã, no Vaticano, o primeiro-ministro da Romênia, Calin Popescu Tariceanu, acompanhado de sua consorte.

O líder romeno pediu esse encontro querendo agradecer o papa e a Igreja pelo que fazem em prol dos imigrados, quer concretamente, quer mediante a promoção de uma cultura da tolerância e do acolhimento.

O colóquio durou cerca de dez minutos e teve lugar ao término da audiência geral, numa pequena sala contígua à Sala Paulo VI. Segundo referiu o diretor da Sala de Imprensa da Santa Sé _ Pe. Federico Lombardi _ o chefe do governo romeno expressou particular apreço pelas palavras do Santo Padre no Angelus de domingo passado, quando fez votos de que “as relações entre povos migrantes e populações locais se dêem no espírito daquela alta civilização moral que é fruto dos valores espirituais e culturais de todo povo e país”.

E quem é responsável pela segurança e pelo acolhimento _ solicitou o papa na ocasião _ “saiba fazer uso dos meios oportunos para garantir os direitos e os deveres que estão na base de toda verdadeira convivência”.

Calin Tariceanu visitou, em seguida, o Palácio Chigi _ sede do governo italiano _ para encontrar o premier italiano, Romano Prodi, e concordar uma estratégia comum voltada a contrastar a criminalidade, garantir a segurança da coletividade e, ao mesmo tempo, os direitos dos cidadãos romenos na Itália.

Fonte: Rádio Vaticano