Convidados pela Igreja Protestante da Argélia para ministrar aulas, cinco teólogos e professores cristãos estrangeiros não têm conseguido obter seu visto de entrada no país. Mustapha Krim (foto), líder da igreja afirmou ter entrado em contato com o ministério de Assuntos Religiosos, pedindo ajuda nesse processo, mas, segundo ele, não houve resposta.

Cinco teólogos e professores cristãos, convidados pela Igreja Protestante da Argélia, tiveram seus vistos negados para entrada no país. Apesar da garantia do governo argelino à liberdade de circulação dos professores estrangeiros, obter um visto revela-se um obstáculo quase intransponível.

Esses cinco professores foram convidados a participar das atividades da igreja. De acordo com o líder da congregação, Mustapha Krim, os profissionais são necessários para o departamento de educação da igreja.

As autoridades pediram à igreja para aclarar o propósito das visitas, porém, não compartilham a mesma transparência: “Quando questionamos o ministério de Assuntos Religiosos sobre o pedido de visto, fomos informados de que já haviam sido entregues. Mas quando, em seguida, pedimos os documentos aos respectivos consulados, eles alegaram que não haviam recebido nada”. A razão para esta dificuldade em obter vistos ainda não está clara para o líder da igreja: “Talvez não estejam dispostos a conceder os vistos porque suspeitam que os professores queiram realizar atividades proibidas.”

[b]Fonte: Portas Abertas Internacional [/b]