Vídeo divulgado na Internet, no último dia 11, ofende seguidores do profeta Maomé e fere os princípios do Islã. Radicais sedentos por vingança iniciam uma série de atentados contra embaixadas americanas de diversos países do Oriente Médio. Até o momento, 20 mortes já foram registradas

Na manhã desta terça-feira (18), a imprensa brasileira divulgou um ataque suicida a um micro-ônibus que ocorreu ontem, na capital do Afeganistão, Cabul. Doze pessoas morreram, incluindo oito sul-africanos. Segundo o jornal O Estado de S. Paulo, o grupo islâmico Hezb-e-Islami – segundo mais importante entre os radicais afegãos, depois dos talibãs – assumiu a autoria da explosão, dizendo que foi um ato em retaliação ao filme considerado ofensivo ao profeta Maomé.

Al-Qaeda do norte da África pede mais mortes de americanos na região

O G1 noticiou trecho de um comunicado publicado ontem em um site usado pelos militantes. Terroristas elogiaram mortes de diplomatas na Líbia. A Al Qaeda no Magreb Islâmico (AQIM, na sigla em inglês) declarou: “Congratulamos nossos irmãos rebeldes muçulmanos que defenderam a honra do nosso profeta, e dizemos a eles: ‘a morte do embaixador dos EUA é o melhor presente que vocês deram a esse governo arrogante e injusto’.”

Diversas manifestações se seguiram após a divulgação do vídeo que, traduzido para o árabe, desrespeita os princípios do Islã. Em países como Líbano, Filipinas, Iêmen, Indonésia, Índia, Azerbaijão, Egito e Sudão, vários protestos suscitaram a violência tendo como alvo os americanos; já que o filme foi produzido nos Estados Unidos.

Segundo informações da agência EFE de notícias, na manhã desta quarta-feira (19), o primeiro-ministro francês, Jean-Marc Ayrault, anunciou que manifestações em protesto contra o vídeo sobre Maomé estão proibidas em território francês. De acordo com outra reportagem do G1, os incidentes já mataram mais de 20 pessoas; esse número, porém, ainda é incerto.

Ore a Deus pela proteção dos cristãos que vivem nas regiões onde há conflitos e interceda pelos civis inocentes que estão em meio aos ataques. A intolerância religiosa faz parte do cotidiano dos cidadãos do Oriente Médio; a violência que provoca o medo e a tensão permanente causa traumas seríssimos às famílias enlutadas. Clame ao Senhor, apoie, contribua para o crescimento do evangelho e manutenção da paz nos lugares mais hostis para aqueles que escolhem seguir a Jesus.

[b]Fonte: Missão Portas Abertas[/b]