Ativistas de um grupo muçulmano agrediram nesta quinta-feira em um ato público no sul da Índia a escritora bengalesa Taslima Nasreen, exilada após ter sido ameaçada de morte em seu país por islamitas.

Nasreen estava no Clube da Imprensa de Hyderabad, quando cerca de 60 militantes de um partido muçulmano irromperam na apresentação de um de seus livros traduzidos, explicou a Polícia.

As redes de televisão exibiram homens lançando ramos de flores e uma mochila contra a escritora, ao mesmo tempo que tentavam atingi-la com cadeiras.

Nasreen, com vários hematomas, foi retirada do local, enquanto que um de seus seguranças ficou ferido.

Salauddin Owaisiwill, presidente do grupo político envolvido, o Majlis-e-Ittehadul-Muslimeen, defendeu a agressão contra a escritora “anti-islâmica”: “O que fizeram foi correto e todos os muçulmanos de Hyderabad felicitarão nosso partido por isso”, declarou à imprensa.

Em março outro grupo muçulmano indiano ofereceu uma recompensa de 11.000 dólares para quem decapitasse Nasreen.

A escritora fugiu de Bangladesh em 1994 após ter recebido ameaças de morte. Em 2002, foi condenada a um ano de prisão em seu país natal por seu romance “Lajja” (Vergonha), no qual descreve as perseguições da maioria muçulmana à comunidade hindu.

Depois de se refugiar na Suécia, a autora vive atualmente entre Europa, Estados Unidos e Índia.

Fonte: AFP