Desde a minha infância, eu sempre tive sentimentos mistos em relação ao “Ramadã”, o mês de jejum dos muçulmanos. É um mês festivo em que as ruas são decoradas com luzes coloridas e bandeiras são penduradas.

Muitas lanternas decorativas do Ramadã são intaladas nas janelas e varandas. As crianças brincam nas ruas desde a festa do pôr do sol, que encerra o jujum do dia, até as primeiras horas da manhã seguinte.

A vida noturna é muito vibrante, alegre e autêntica. Os ruídos da rua parecem não ter fim! A vida diurna no Ramadã, porém, é muito diferente – e de muitas maneiras desafiadora! Os muçulmanos estão sempre cansados, exaustos e impacientes. Sem nada para comer ou até mesmo água para beber por 16 horas ou mais durante o dia. Dessa forma, dominados pela exaustão física, eles tendem a ser mais hostis e agressivos do que o habitual.

Agora, pare e pense, o que as famílias cristãs têm de enfrentar durante esse mês. Para os muçulmanos, nós somos as pessoas que “não-jejuam”! Somos vistos como estranhos, incrédulos, uma vez que não jejuamos com eles durante o “mês sagrado”. No trabalho, não podemos comer ou beber na frente dos nossos colegas muçulmanos, se quisermos evitar olhares de desprezo e reprovação! Ter uma xícara de café em nossa mesa, já seria considerado um grande pecado! Cozinhar um almoço saboroso é certamente um crime!

De muitas maneiras, vemos um ambiente triste e deprimente, durante o jejum. Se você deseja obter documentos legais em qualquer agência governamental, esqueça: as pessoas não demonstrarão o minimo interesse em você, sentem-se cansadas e fracas, quando não estão do lado de fora, estão orando em um canto reservado do escritório!

As crianças cristãs são por vezes confrontadas por seus amigos muçulmanos com perguntas difíceis, como: “Por que vocês cristãos não festejam como os muçulmanos? O jejum é um dever religioso … o jejum é ordenada por Deus …! “Muitas crianças cristãs são desprezadas e ridicularizadas por seus amigos muçulmanos, porque não jejuam durante o Ramadã!

Nas mesquitas em todo o Egito, muitos imãs usam o “mês sagrado” do ramadã, para fazer discursos fortes, para intimidar os cristãos que vivem em suas comunidades, declarando que “o Islã é a resposta”. Eles deixam claro que, de acordo as crenças islâmicas, a fé cristã em muitos aspectos, não é aceitável.

Como cristãos, podemos seguir um dos dois padrões de comportamento para lidar com este tipo de situação entre os nossos vizinhos muçulmanos, durante o Ramadã. Muitos cristãos egípcios escolhem se esconder. “Nós vamos ficar fora do seu caminho, até o mês do jejum acabar!” Eles decidem.
Mas há outra opção, escolher ficar perto de nossos amigos muçulmanos, usando este mês especial para construir pontes, mostrando-lhes amor e respeito. O amor nunca falha. O amor é o caminho que nos faz brilhar, para trazer a luz de Jesus e vencer as trevas em muitos corações.

De todos os meses do ano, o Ramadã é o momento em que nós, cristãos egípcios, devemos nos dedicar mais à oração por nossos amigos e vizinhos muçulmanos. Este é o melhor momento para mostrar-lhes o verdadeiro amor de Cristo, em vez de se isolar em uma sala vazia e escura!

Ore pelos cristãos do mundo muçulmano durante o Ramadã. Clique [url=http://www.portasabertas.org.br/ramada]aqui [/url]e saiba mais sobre o mês sagrado de jejum e oração dos muçulmanos.

[b]Fonte: Missão Portas Abertas[/b]