A revista americana pró-direitos dos gays “The Advocate” escolheu o Papa Francisco como sua “personalidade do ano” de 2013 nesta terça-feira (17), mesmo dia em que o pontífice argentino celebrou seu aniversário de 77 anos.

A revista argumentou que concedeu a honraria ao Papa porque, ainda que ele se mantenha contrário ao casamento gay, seu pontificado demonstrou uma “profunda mudança na retórica (anti-gay) em relação a seus predecessores”.

[img align=left width=300]http://s2.glbimg.com/Tq28hvQ2Ad_p9Cfwjb1esSBqeCc=/s.glbimg.com/jo/g1/f/original/2013/12/17/1.jpg[/img]A capa destaca uma frase de Francisco dada em entrevista em julho: “Se uma pessoa é gay e procura Deus e tem boa vontade, quem sou eu para julgar?”

A revista afirma que a organização gay católica “Equally Blessed” (Igualmente Abençoados) considerou a frase “algumas das mais encorajadoras palavras que um pontífice já disse sobre gays e lésbicas”.

À época, o Vaticano frisou que as palavras do Papa não mudavam a posição da Igreja Católica, de que as tendências homossexuais não são pecaminosas, mas os atos, são.

Ainda assim, a comunidade gay e muitos heterossexuais na Igreja saudaram o que viram como uma mudança de ênfase e um pedido para que a Igreja tenha mais compaixão e menos condenação.

A Advocate disse que ninguém deve “subestimar a capacidade de qualquer papa de convencer corações e mentes na abertura para pessoas LGBT (lésbicas, gays, bissexuais e transexuais)”.

Na semana passada, a revista “Time” concedeu o mesmo prêmio ao Papa Francisco, elogiando o pontífice por ter mudado a mensagem da Igreja Católica em prol do perdão em vez da condenação.

[b]Fonte: G1[/b]