Uma iniciativa da prefeitura do Rio de Janeiro em relação à internação de travestis e transexuais nos hospitais municipais foi alvo de críticas severas do pastor Silas Malafaia, líder da Assembleia de Deus Vitória em Cristo (ADVEC).

Malafaia criticou a resolução conjunta da Secretaria de Saúde e Coordenadoria Especial de Diversidade Sexual que prevê a internação de travestis e transexuais nas alas destinadas ao gênero que essas pessoas se identificam socialmente.

[img align=left width=300]http://i0.wp.com/noticias.gospelmais.com.br/files/2015/07/pastor-silas-malafaia.jpg[/img]“Numa enfermaria de um hospital municipal cabem de quatro a seis vagas […] quatro ou cinco mulheres podem ser constrangidas, mas o travesti não”, criticou o pastor.

No vídeo, Silas Malafaia foi além e sugeriu uma situação que passa a ser possível a partir da resolução: “Quer dizer que um travesti que tem pênis – pra dizer o português e você entender bem – se sente que é mulher. Então ele vai para a enfermaria da mulher, com cinco mulheres na enfermaria do hospital municipal. Você já viu como é que é: dependendo da doença, o cara tira a roupa dele na cama, dá banho nele na cama…”, contextualizou.

Para o pastor, essa resolução é uma demonstração da ideologia de gênero: “Eu não estou aqui para proibir qualquer relação homossexual. Não estou aqui para isso. Agora o jogo é muito mais profundo: olha a ideologia de gênero aí gente”, comentou Malafaia.

O líder evangélico dirigiu-se ao “moderado” prefeito da cidade, Eduardo Paes (PMDB), dizendo que ele deveria agir com responsabilidade e restaurar o respeito às cidadãs. “Eu espero que o prefeito venha botar abaixo essa pouca vergonha e respeitar as mulheres. Se querem fazer alguma coisa especial para travesti e transexual, então separe lá numa ala”, sugeriu.

[b]Fonte: Gospel +[/b]