[img align=left width=300]http://www.folhagospel.com/imagem/Testemunhas_de_Jeova.jpg[/img]

O Supremo Tribunal russo confirmou nesta segunda-feira (17) sua decisão de proibir a atuação das Testemunhas de Jeová em seu território, rejeitando um recurso da organização, considerada como “extremista”.

“O Supremo Tribunal decidiu rejeitar a apelação da organização contra sua proibição”, aponta a decisão, citada pela agência de notícias RIA-Novosti.

O [url=https://folhagospel.com/modules/news/article.php?storyid=33607]ministério da Justiça russo havia apresentado uma ação no Supremo Tribunal[/url] considerando as Testemunhas de Jeová “uma ameaça para os direitos das pessoas, da ordem pública e da segurança pública”. A decisão da justiça abriu caminho para o fechamento e confisco de bens das comunidades ligadas às Testemunhas de Jeová na Rússia.

“Mesmo esperando uma decisão negativa, é de toda forma decepcionante”, reagiu o porta-voz internacional das Testemunhas de Jeová, David. A. Semonian. “Ainda não é o fim”, assegurou por sua vez Viktor Jenkov, advogado da organização, citado pela agência Interfax. “Vamos apelar da decisão diante da Corte Europeia de Direitos Humanos” (CEDH), ressaltou.

[b]Testemunhas de Jeová estão espalhadas pela Rússia
[/b]
O grupo religioso afirma contar com 175.000 membros e 395 centros em todo o país, e já travou várias disputas com as autoridades russas nos últimos anos. Em janeiro deste ano, o líder da organização na cidade de Dzerzhinsk foi multado por distribuir material considerado extremista pelas autoridades.

O governo russo dissolveu em 2004 um ramo da organização, uma decisão que a Corte Europeia de Direitos Humanos considerou em 2010 em violação aos direitos da religião e associação.

Para a poderosa Igreja ortodoxa russa, as Testemunhas de Jeová são uma seita perigosa, devido à proibição de transfusões de sangue imposta aos seus membros, entre outras coisas.

A Igreja das Testemunhas de Jeová foi fundada em 1870, nos Estados Unidos, por Charles Russel. Eles se declaram cristãos e anunciam, através de campanhas incansáveis de porta em porta, a próxima chegada do Reino de Deus sobre a Terra. Mas não reconhecem a natureza divina de Cristo, o que provoca a rejeição de outras igrejas cristãs.

[b]Fonte: RFI[/b]