Um sacerdote e dois seminaristas mexicanos foram assassinados na cidade de Arcelia, estado de Guerrero, após serem baleados com armas de grosso calibre.

O sacerdote Habacuc Hernández Benítez, que cuidava do seminário da diocese de Ciudad Altamirano, e os seminaristas Eduardo Oregón e Silvestre González, foram mortos no sábado à tarde. Eles iam a uma reunião de religiosos da região, situada no sudoeste do México.

O arcebispo de Acapulco, Felipe Aguirre Franco, lamentou o episódio e cobrou uma investigação minuciosa. Ele não descartou a hipótese de que os assassinatos tenham sido cometidos por membros de cartéis da droga que atuam em Guerrero.

Para Franco, os representantes da Igreja Católica se tornaram “reféns do violento confronto” travado por estas organizações.

“Isto também contamina pessoas que, sem pertencerem aos cartéis, imitam suas ações violentas e querem levar adiante a lei da selva, a lei do revólver, do ajuste de contas, do derramamento de sangue”, enfatizou.

Em 2008, cerca de 6.400 pessoas morreram no México em crimes vinculados à atuação de narcotraficantes.

Fonte: Ansa