O porta-voz da Santa Sé, padre Federico Lombardi, disse nesta segunda-feira que 2009 será o ano em que o Vaticano se dedicará à África, segundo ele “um continente martirizado, para o qual todos, a exemplo do Papa Bento XVI, devem olhar”.

Em entrevista à Rádio Vaticano, Lombardi lembrou os “assustadores massacres” ocorridos no continente e a situação das pessoas que vivem o problema da fome, como no Zimbábue.

O porta-voz afirmou que o empenho do Papa para combater as crises humanitárias na África é um exemplo, mas ressaltou que “todos devem olhar em direção a este continente no próximo ano”.

Lombardi falou também sobre os principais pontos abordados e discutidos pelo Vaticano durante este ano.

Como exemplos, ele citou avanços no ecumenismo e no diálogo com representantes da religião muçulmana, sobretudo no contexto do Ano Paulino (ano em que a igreja celebrou São Paulo) e do Sínodo dos bispos, que aconteceu “em um clima extremamente sereno”.

Lombardi enfatizou ainda como, sobretudo no fim do ano, os aspectos éticos evidenciados pela crise econômica internacional, com as suas graves conseqüências sobre as áreas mais pobres do planeta, estiveram no centro de muitos discursos de Bento XVI.

“O fato de o Papa retornar geralmente a este assunto mostra não só a sua participação nos sofrimentos e nas dificuldades que atingem tantas pessoas em conseqüência da crise, mas também alerta para o fato de que para sair dela, é preciso conseguir construir a economia sobre valores fundamentais para um desenvolvimento igualitário, solidário e justo para todos”, afirmou o porta-voz.

Fonte: O Globo online