O presidente da Pontifícia Academia para a Vida, Elio Sgreccia, considerou ontem um “feito histórico” a conquista de uma equipe internacional de cientistas que conseguiu “reprogramar” células da pele humana para que tenham propriedades de células-tronco embrionárias.

O Vaticano irá criar grupos internacionais para a defesa dos direitos humanos, segundo os princípios da Igreja Católica, indicou nesta sexta-feira o jornal da Santa Sé.

O número dois do Vaticano, cardeal Tarcisio Bertone, convocou para o dia 30 de novembro, em Roma, uma assembléia de organizações não-governamentais de inspiração católica para examinar o assunto.

Mais de cem organizações estarão presentes na reunião, que também contará com o observador permanente da Santa Sé na ONU, monsenhor Celestino Migliore, além do ministro de Relações Externas do Vaticano, Dominique Mamberti.

A Igreja Católica quer contar com uma força internacional para defender princípios importantes, como a dignidade humana, explicou o subsecretário do Vaticano para relações com os Estados, monsenhor Pietro Parolin.

O informe do religioso foi publicado pelo jornal do Vaticano, nesta sexta-feira, onde ele defende a vida e a família, a paz, o meio ambiente e ataca o relativismo moral.

Para Parolin, a Igreja católica é a “única instituição religiosa que mantém relações diplomáticas e tem acesso ao direito internacional através da Santa Sé”, escreveu.

Fonte: AFP