A Assembléia Nacional da Venezuela rechaçou ontem o asilo concedido pelo Vaticano ao dirigente de oposição Nixon Moreno, procurado pela justiça venezuelana sob acusação de estupro, e que há mais de um ano se encontra refugiado na Nunciatura Apostólica.

No documento divulgado, o parlamento condena o asilo e pede à Santa Sé que volte atrás na decisão. A Assembléia solicitou também ao governo nacional da Venezuela que reconsidere o convênio com o Vaticano, celebrado em 1964.

Os deputados partidários do documento solicitaram à Igreja que entregue Moreno caso deseje se manter em “bons termos” com o governo venezuelano.

O deputado governista Miguel Rojas Rojas acusou a hierarquia eclesiástica de assumir uma atitude “beligerante” contra o governo.

Da mesma forma, o parlamentar Manuel Briceño assegurou que a Nunciatura, ao oferecer abrigo a Moreno, parece “ter perdido o decoro e está atuando com intenções de outra natureza”.

Moreno é acusado de estupro a uma agente da polícia e de formação de quadrilha e homicídio internacional, por ferir com uma arma de fogo outro agente de segurança.

Fonte: Ansa