A rua Martin Luther em Berlim
A rua Martin Luther em Berlim

Cerca de cem ruas e praças de Berlim, capital da Alemanha, podem ser renomeadas para não homenagear as figuras alemãs que tinham opiniões antissemitas, concluiu um estudo encomendado pelo Senado do Estado de Berlim.

Um grupo de pesquisa liderado pelo cientista político Felix Sassmannhausen disse que há 290 lugares públicos na capital da Alemanha cujos nomes se referem a personalidades históricas ligadas ao ódio aos judeus.

Em dois terços dos casos listados, o estudo afirma que a renomeação poderia ser evitada se uma explicação “contextualizada” dos sinais fosse oferecida ao público.

Entre as ruas que devem ser revistas está a Rua Martinho Lutero, que leva o nome do reformador alemão do século XVI. “Martinho Lutero escreveu escritos antijudaicos e foi influente na disseminação do antijudaísmo de motivação cristã”, diz o documento.

Outras ruas e praças que homenageiam figuras conhecidas que o relatório recomenda revisar incluem aquelas que se referem ao compositor Richard Wagner, aos contadores de histórias Irmãos Grimm ou ao primeiro chanceler da Alemanha Ocidental, Konrad Adenauer, entre outros.

O comissário berlinense para o antissemitismo, Samuel Salzborn, disse que o ano de Lutero em 2017 foi uma chance perdida de examinar melhor as opiniões antissemitas do teólogo. “Gostaria muito de ver o problema [o antissemitismo de Lutero] abordado de forma mais intensa”, afirmou.

Para Sassmanhausen, a discussão em torno da nomenclatura das ruas não é uma questão de “endereços onde vivemos”, mas uma questão mais profunda de “visões sociais impressas em nossas placas” que não deveriam mais ser aceitas na cultura de hoje.

Folha Gospel com informações de Evangelical Focus


Comentários