Logo da Amazon
Logo da Amazon

A gigante do varejo on-line global Amazon, retirou permanentemente do seu site, na semana passada, os livros de Joseph Nicolosi, frequentemente chamado de “pai da terapia de conversão”.

Durante meses, ativistas LGBT pediram que a Amazon deixasse de vender as obras de Nicolosi, um psicólogo clínico e autor católico que morreu em 2017, informou a NBC. 

Nicolosi escreveu vários trabalhos sobre a homossexualidade em homens e abordagens terapêuticas para pessoas com atração pelo mesmo sexo.

Agora, a Amazon também removeu os trabalhos de outros autores que uma vez viveram e se identificaram como gays, cedendo a pressão dos LGBTs.

As obras de Anne Paulk, da Restored Hope Network, e do conselheiro pastoral e escritor Joe Dallas, estão entre os livros mais recentes a serem retirados da gigante do varejo on-line.

O livro de Dallas –  Desejos em Conflito: Esperança para Homens que Lutam com a Identidade Sexual –  e o livro de Paulk –  Restaurando a Identidade Sexual: Esperança para Mulheres que Lutam Contra o Mesmo Sexo –  não estão mais disponíveis para compra.

Anne Paulk é ex-lésbica e diretora executiva da Restored Hope Network , um ministério cristão interdenominacional. Joe Dallas é fundador do Genesis Counselling em Tustin, Califórnia , especializado em terapia reparadora de uma perspectiva cristã.

“A decisão da Amazon não é surpresa, já que a cultura de hoje está desmoronando com os objetivos do movimento político LGBTQ, que sempre incluiu o silenciamento de qualquer desaprovação da homossexualidade”, disse Dallas em um e-mail ao jornal The Christian Post.

“Seria muito ingênuo pensar que isso vai parar por aqui. Primeiro, o movimento LGBTQ convencerá a cultura de que contar aos homossexuais que eles podem mudar é perigoso. Então eles vão convencer a cultura de que chamar a homossexualidade de pecado é perigosa. Então o governo vai dizer aos pastores da América o que eles podem ou não podem dizer sobre este assunto, e a cultura aprovará.”

O autor acrescentou que aqueles cujos livros estão sendo retirados do site estão atualmente considerando a melhor forma de responder, mas sua missão permanecerá a mesma.

“Nenhum de nós vai deixar de comunicar a graça de Deus evidenciada em nossas vidas e nas vidas daqueles a quem ajudamos”, disse Dallas.

“Pedro e João diziam tão bem: ‘Julgai vós se é justo, diante de Deus, ouvir-vos antes a vós do que a Deus; Porque não podemos deixar de falar do que temos visto e ouvido'”, acrescentou ele, se referindo a Atos 4:20.

A Amazon também deixou de vender o livro do advogado católico David A. Robinson, onde ele compartilha sua história pessoal de deixar a homossexualidade. 

O livro de Robinson, Orientação e Escolha: A Viagem Sexual de Um Homem, foi vendido na Amazon por quase um ano antes de ser removido na semana passada. Quando Robinson perguntou por que isso aconteceu, um representante da Amazon o informou em um e-mail que durante uma revisão eles acharam que seu trabalho estava “violando nossas diretrizes de conteúdo”, mas não explicavam por que a censura.

Daren Mehl, presidente da Voice of the Voiceless (Voz dos Sem Vozes, em tradução livre), um grupo que representa ex- homossexuais, disse que o termo “terapia de conversão” ou “cura gay”, seria uma manipulação dos ativistas LGBTs.

“Hoje, não há choques elétricos ou métodos abusivos semelhantes e o que está sendo contestado em todo o país é a terapia da fala” sustenta.

“A verdade é que a orientação sexual é fluida, pode-se experimentar uma mudança nos desejos de atração pelo mesmo sexo para a atração pelo sexo oposto. O lobby LGBT tem milhões de dólares à sua disposição para ofuscar a verdade e influenciar a cultura, mas nenhuma quantia de dinheiro pode mudar a verdade”, salientou Mehl.

Em resposta às remoções, o grupo Voice of the Voiceless lançou uma petição  Change.org na segunda-feira, exigindo que a Amazon inverta o curso ao acusar a empresa de censura injusta.

“Estamos indignados com o fato de uma campanha de difamação de um indivíduo (que afirmou que nunca leu esses livros) pudesse convencer a Amazon a censurar todos os livros, audiolivros e material do Kindle relacionados a nossas experiências e pontos de vista”, diz trecho da petição.

“Seu desejo de remover livros de psicólogos não mudará a verdade. Banir livros de nossas histórias de vida é em vão, nós ainda existimos, e ainda falaremos das boas obras de Jesus”, disse Mehl.

Folha Gospel com informações de The Christian Post