Cemitério Nossa Senhora Aparecida, em Manaus (Fonte: Agência Senado)
Cemitério Nossa Senhora Aparecida, em Manaus (Fonte: Agência Senado)

Há seis dias, sem interrupção, a média móvel de mortes causadas por Covid-19 é considerada a maior da história. Nesta terça-feira (02), o país atingiu o novo pico de 1.262 mortes por dia durante a semana.

E de acordo com o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass), o número exato de óbitos registrados foi de 1.641 em 24 horas – é a pior marca de mortes atingida desde o início da pandemia, superando o recorde batido de 29 de julho, quando foram contabilizadas 1.595 vítimas.

Já de acordo com o consórcio de veículos de imprensa, foram 1.726 mortes nas últimas 24 horas, superando assim o recorde anterior de 1.582 óbitos em um dia, na última quinta-feira (25).

Pelo quarto dia consecutivo, o país apresentou a maior média móvel de mortes desde o início da pandemia no Brasil: 1.274. Desde ontem, o país voltou a ter tendência de aceleração na comparação com 14 dias atrás. Hoje a alta foi de 23%.

Três estados tiveram o seu dia mais letal em toda a pandemia: Rondônia, Rio Grande do Sul e São Paulo. Além disso, três estados superaram seus recordes na média de óbitos: novamente Rio Grande do Sul, Bahia e Santa Catarina.

O alto número de registros de mortos nesta terça foi puxado pelo total de óbitos computados pelo estado de São Paulo: 468 entre ontem e hoje. Os números não indicam quando as mortes ocorreram de fato, mas, sim, quando passaram a contar dos balanços oficiais. O total de pessoas que morreram em decorrência da doença no país chegou a 257.562.

Três estados registraram o recorde de mortes por covid-19 em um intervalo de 24 horas:

  • São Paulo – 468
  • Rio Grande do Sul – 185
  • Rondônia – 46

Este também é o 41º dia seguido no qual o país tem média superior a mil mortes por covid-19 — o maior período em toda a pandemia. Os recordes sucessivos mostram que o Brasil passa por seu pior momento desde março de 2020.

As sete maiores médias móveis de mortes por covid-19 ocorreram nos últimos sete dias:

  • 2 de março – 1.274
  • 1º de março – 1.223
  • 28 de fevereiro – 1.208
  • 27 de fevereiro – 1.180
  • 25 de fevereiro – 1.150
  • 26 de fevereiro – 1.148
  • 24 de fevereiro – 1.129

Quinze estados e o Distrito Federal também apresentam tendência de alta no índice, enquanto apenas três têm queda. Outros oito mantêm índices estáveis.

Das 5 regiões, 3 registram tendência de alta: Nordeste (48%), Norte (119%) e Sul (117%). Centro-Oeste (8%) e Sudeste (9%) estão estáveis.

Houve 58.237 testes positivos para o novo coronavírus de ontem para hoje no país. Desde o início da pandemia, o total de infectados subiu para 10.647.845.

Fonte: UOL e Último Segundo