Em uma circular de dezembro deste ano às famílias dos alunos do ensino fundamental da cidade de Spokane, em Washington (EUA), a lista de “datas importantes” das escolas públicas não incluiu o Natal.

Hanuká, Dia dos Direitos Humanos, férias de inverno, o dia sagrado islâmico Eid al-Adha, o primeiro dia do verão e Kwanzaa compunham a lista. Mas o Natal ficou de fora.

“Foi absolutamente um erro de omissão”, declarou a porta-voz da escola Terren Roloff. “Na nossa tentativa de não discriminar, esquecemos do óbvio.”

A omissão provocou reclamações de alguns pais de que o Natal estaria sendo desconsiderado, favorecendo outras culturas e crenças. O diretor executivo da Spokane Association of Evangelicals, John Tusant, disse que o erro o surpreendeu.

“Todas as lojas estão com decoração de Natal desde o mês passado. Como é possível deixar isso passar?”, questionou Tusant.

Jane Harper, que tem filhos matriculados na escola Hutton, percebeu a ausência do Natal na lista, mas não entendeu que o esquecimento foi dirigido intencionalmente aos cristãos.

“O Natal é tão predominante em nossa sociedade. Acho que as pessoas não deviam se sentir menosprezadas”, declarou Harper.

Roloff alegou que se as escolas tivessem intenção de excluir celebrações religiosas, não teriam incluído Hanuká e Eid al-Adha no calendário. Ela disse que a coordenação está recebendo e respondendo ligações de pais preocupados sobre a circular, e que a maioria deles está sendo compreensiva sobre a confusão.

O Natal foi acrescentado à seção de “datas importantes” da versão on-line da circular das escolas dias depois.

Fonte: G1