Cardeal católico australiano George Pell
Cardeal católico australiano George Pell

O cardeal George Pell foi condenado na Austrália por acusações de abuso sexual, segundo duas fontes próximas ao caso e relatos da mídia local, tornando-se a mais alta autoridade do Vaticano a enfrentar tal condenação. 

Pell, que se declarou inocente, foi licenciado de seu posto no Vaticano, o terceiro mais alto na hierarquia da Igreja Católica, para enfrentar o processo judicial. Ele era tesoureiro do Vaticano.

Em outubro, a Santa Sé anunciou que o papa Francisco havia removido Pell do grupo conhecido como Conselho dos Cardeais. Na ocasião, o cardeal chileno Francisco Javier Errázuriz Ossa, acusado de acobertamento de casos de abuso, também foi afastado. 

O Vaticano aida não se manifestou sobre o caso nesta quinta-feira (13).

Os procedimentos de sentenciamento começam em fevereiro, informou o Washington Post, citando uma fonte judicial australiana. Pell também será julgado por outras acusações. 

Pell é o segundo caso de abuso supostamente cometido por membros da Igreja Católica a chegar às manchetes nos últimos dias.

Na semana passada, o ex-arcebispo de Adelaide Philip Wilson foi absolvido por uma corte de apelação por acusações de que teria ajudado a acobertar abusos contra dois coroinhas por um padre. 

O cardeal é acusado de “ofensas sexuais históricas”, o que significa que elas ocorreram décadas atrás, mas os detalhes das queixas (incluindo o nome dos acusadores) não foram tornados públicos.

Segundo a polícia, os casos são antigos, sendo que alguns aconteceram há mais de 40 anos.

Fonte: Folha de S. Paulo