Representantes de 20 entidades ligadas à Igreja Católica e aos movimentos populares promoveram hoje, na Praça João Pessoa, no centro da capital paraibana, um ato de solidariedade ao bispo de Barras (BA), dom Luiz Cappio, que está fazendo greve de fome há 21 dias contra a transposição de água do rio São Francisco para a região semi-árida do Nordeste, que engloba Paraíba, Pernambuco, Ceará e Rio Grande do Norte.

Segundo Gleyson Ricardo, membro da Frente Paraibana em Defesa da Terra, Água e Povos do Nordeste, a manifestação reuniu padres, freiras, teólogos, missionários, sindicalistas, estudantes e agricultores ligados a 20 entidades que não concordam com a transposição e estão solidárias com a greve de fome do bispo.

“Todos nós estamos solidários ao bispo, atendendo recomendação da CNBB (Conferência Nacional dos Bispos do Brasil) e também passamos o dia em jejum e oração”, disse Gleyson Ricardo. Ele destacou a participação de integrantes da Comissão Pastoral da Terra (CPT) e do Movimento dos Atingidos por Barragens (MAB) da Paraíba em apoio ao bispo. A manifestação não teve o apoio do arcebispo de João Pessoa, dom Aldo Pagotto, que é um dos defensores da transposição. O arcebispo da capital paraibana, inclusive, é presidente do Comitê Estadual de Luta pela Transposição.

Fonte: Estadão