A Fundação Ajuda A Igreja que Sofre (AIS) chamou alertou para a situação de 12 cristãos detidos há mais de dois meses na China, na sequência de uma operação policial contra uma Igreja.

Na nota publicada através da internet, o organismo católico avança que pelo menos “três destes cristãos” estarão “desaparecidos”, enquanto os restantes estão presos no estabelecimento prisional de Nanle County, acusados da prática de “distúrbios na via pública”.

A localidade situa-se na província de Henan, a cerca de 600 quilómetros da capital Pequim.

O caso remonta ao dia 16 de novembro de 2013 e as autoridades chinesas prenderam também o pastor da Igreja cristã, de 49 anos, tendo “ameaçado de perseguição quem se prontificasse a promover a defesa dos cristãos”, realça a AIS.

[b]Fonte: Agencia Ecclesia[/b]