Conflitos religiosos que explodiram no oeste da Etiópia deixaram cristãos e muçulmanos mortos nessa semana. As autoridades disseram na quarta-feira que o confronto se deu depois de uma festividade ortodoxa, no domingo 1º de outubro.

Segundo o jornal Middle East Times, pelo menos nove muçulmanos e um número não-identificado de cristãos foram mortos, de acordo com informações da polícia.

Além desse incidente, duas igrejas cristãs foram incendiadas e mais de cem pessoas tiveram que fugir durante o conflito que irrompeu domingo na cidade de Jimma.

Um funcionário do Supremo Concílio de Assuntos Islâmicos da Etiópia confirmou a morte e os incêndios à agência de notícias AP (Associated Press).

Em condição de anonimato, um líder da Igreja Ortodoxa Etíope disse que, “segundo nossos relatos, os muçulmanos disseram que os cristãos não podem celebrar o Meskel porque essa é a terra deles”.

Meskel, “cruz” em aramaico, é uma festividade ortodoxa que marca a chegada da primavera, e é celebrada com a queima de uma cruz gigante. Ela é comemorada logo após o Ano Novo Etíope, que começou em 11 de setembro. O Meskel foi celebrado na semana passada.

Uma fonte diplomática em Addis Ababa, capital do país, também deu informações sob condição de anonimato. Ela confirmou que um conflito ocorreu em Dembi, uma pequena vila a 90 quilômetros do norte de Jimma, mas não deu detalhes sobre o incidente.

“Houve um conflito motivado pela religião na cidade de Dembi … depois da celebração do Meskel. Esse incidente agravou-se há três dias, e algumas pessoas foram mortas por causa do conflito.”

A polícia etíope não pôde confirmar imediatamente a descrição, mas o diplomata afirmou que havia uma forte presença das forças de segurança na estrada entre Jimma e Dembi.

Um clérigo da Igreja Ortodoxa disse que as autoridades eclesiásticas estão cada vez mais preocupadas com o conflito inter-religioso. “Tivemos alguns problemas no ano passado na mesma região, mas ninguém morreu. Essa é uma situação perturbadora. Essas coisas não costumavam acontecer, mas parece que elas estão começando agora.”

Em maio, jovens islâmicos no leste da cidade de Jijiga, apedrejaram casas e comércios de cristãos, depois de terem se ofendido com algo que eles disseram ser uma profanação do Alcorão.

Fonte: Portas Abertas