Justiça interdita igreja Assembleia de Deus, no Laranjal, em Volta Redonda (Foto: Reprodução/ Internet)
Justiça interdita igreja Assembleia de Deus, no Laranjal, em Volta Redonda (Foto: Reprodução/ Internet)

A justiça determinou a interdição da Igreja Assembleia de Deus, localizada no bairro Laranjal, em Volta Redonda. O motivo foi o não cumprimento dos decretos municipais de combate à covid-19 durante evento realizado no período de Carnaval.

Uma ação civil pública foi movida pelo Ministério Público do Rio de Janeiro (MPRJ) e o juiz da 6ª Vara Cível, André Aiex Baptista Martins, decidiu pela interdição do local e fixou multa de R$ 50 mil, caso a igreja descumpra a decisão.

A determinação aconteceu na sexta-feira, dia 19, mesmo dia em que uma equipe de fiscalização da prefeitura de Volta Redonda (RJ) notificou e autuou a Igreja Assembleia de Deus, do bairro Laranjal, por descumprir as regras de enfrentamento à pandemia de Covid-19, após denúncias de aglomeração.

Um decreto municipal determina que as igrejas e templos religiosos de qualquer culto poderão funcionar, de forma limitada, com capacidade de, no máximo, de 30% (trinta por cento), com controle de acesso e saída para evitar aglomerações durante o ingresso e saída no local e com uso obrigatório de máscara.

Imagens de um evento religioso, realizado durante o feriado de carnaval, foram divulgadas nas redes sociais e mostram uma superlotação do espaço, com mais de 300 fiéis cantando sem máscara.

Em nota, antes da interdição, a Assembleia de Deus lamentou o acontecimento e pediu desculpas. Disse que foi um fato isolado e uma situação atípica em razão do feriado. A organização religiosa explicou ainda que vai continuar cumprindo as medidas de prevenção a Covid-19.

Igreja de Volta Redonda é multada após flagrante de aglomeração — Foto: Redes Sociais

Após a interdição determinada pela justiça, a Assembleia de Deus ainda não se manifestou sobre assunto. A decisão judicial cabe recurso.

A prefeitura orientou que caso a população presencie algum flagrante de descumprindo das regras de combate à pandemia, que comunique aos órgãos competentes pelos números 156 (Central de Atendimento), 153 (Guarda Municipal) ou 190 (Polícia Militar).

Fonte: G1 e O Dia