Placa que simboliza o ateísmo e a perseguição aos cristãos
Placa que simboliza o ateísmo e a perseguição aos cristãos

A violência a que os cristãos são submetidos por causa da fé aumentou no mundo de modo geral.

No período coberto pela Lista Mundial da Perseguição 2019 (1 de novembro de 2017 a 31 de outubro de 2018), 4.305 cristãos foram mortos por motivos relacionados à fé, 1.239 a mais que no período anterior.

Do total de mortes, 86% ocorreram na Nigéria. Foi em países como Nigéria, República Centro-Africana, Somália, Etiópia e Paquistão que o aumento da violência foi ainda mais evidente e avassalador.

Na Nigéria, grande parte das 3.731 mortes de cristãos aconteceu na região do Cinturão Médio, sendo que o estado de Plateau teve o pior desempenho.

Em quase todos os casos, os agressores eram pastores de cabras muçulmanos fulanis. Em 4 de julho de 2018, a Câmara dos Representantes da Nigéria declarou que os assassinatos no estado de Plateau configuram genocídio.

A Nigéria é recordista também em número de igrejas e prédios cristãos atacados. Foi um total de 569, contra 22 no ano anterior. O número apresentado (569) é baseado em informações do estado de Nasarawa, onde, no primeiro semestre de 2018, 539 igrejas foram destruídas. Isso leva a crer que o número real pode ser muito mais alto, mas não temos dados para comprovar.

No total no mundo, esse número é de 1.847, ultrapassando em mais de mil o total registrado no período anterior, que foi de 793. Na China, o número de igrejas e prédios cristãos atacados passou de 10 para 171 e em Mianmar, de 2 para cerca de 100 (na falta de números exatos, arredondamos para baixo). Veja a comparação dos números deste ano com anos anteriores:

Aumento de perseguição violenta na China é significativo

Outro dado que nos leva a afirmar que a violência enfrentada pelos cristãos perseguidos aumentou em todo o mundo é o número de cristãos detidos sem julgamento, aprisionados, sentenciados e presos.

O total foi de 3.150 casos no período de pesquisa da Lista Mundial da Perseguição, contra 1.905 no período anterior. Do total de 3.150 prisões arbitrárias, 1.131 ocorreram na China.

Vietnã e Mianmar também foram países em que esses números cresceram assustadoramente, indo de 25 para 186 no Vietnã, e de 19 para 154 em Mianmar.

Na China, muitos ataques contra igrejas ocorreram ao mesmo tempo que líderes cristãos foram detidos (e depois presos) e cristãos foram atacados e espancados.

Tais incidentes ocorreram em várias províncias, mas sobretudo em Henan, uma província populosa com uma considerável minoria cristã.

A maioria dos ataques foi realizado por membros das forças de segurança ou pelo Departamento de Trabalhadores da Frente Unida, mas em alguns casos por grupos locais contratados também.

Em 2018, o Vietnã condenou e prendeu vários ativistas católicos, blogueiros e pastores protestantes, muitas vezes por supostamente tentar “derrubar o governo”. Muitos outros cristãos foram presos também, especialmente os de origem tribal.

Fonte: Missão Portas Abertas