Muçulmanos fazendo orações durante o Ramadã
Muçulmanos fazendo orações durante o Ramadã

O Ramadã é um mês especial para a maioria dos muçulmanos no Sudeste das Filipinas. É um mês considerado santo quando eles jejuam e oram a Alá com objetivo de ganhar recompensas para a vida após a morte. Suraida*, de 60 anos, costumava acreditar nisso também.

Ela veio à fé cerca de sete anos atrás, quando sua neta a convidou para um encontro de oração. “Quando ouvi sobre isso, fui contra imediatamente, porque sabia que a crença deles era diferente da minha”, disse.

Mas então alguém deu a ela um Novo Testamento. Quando o abriu, ficou chocada por estar escrita na língua local. Ela não o leu, mas o manteve no armário. Um dia, ficou muito doente. A neta a aconselhou a ir à missão médica e odontológica próxima, dirigida por cristãos. Ela foi. Lá, além de lhe darem remédios, também oraram por ela.

“Alguém orou por mim, mas não como os muçulmanos oram. Ela orou para que Jesus me curasse”, contou. Quando chegou em casa, abriu o Novo Testamento e, enquanto lia, foi curada.

“Naquele dia, me tornei cristã. Deus tem sido bom comigo desde que entrou em minha vida. Ele me dá tudo que preciso”, compartilha. Desde o dia em que Suraida finalmente abriu o Novo Testamento, seu amor pela palavra de Deus cresceu. Graças a suas orações e apoio, parceiros locais da Portas Abertas ofereceram a ela treinamento bíblico, e ela também foi ensinada a conduzir estudos bíblicos para outros. Agora ela ensina a Bíblia em sua casa.

Ela queria seguir a Jesus

O sobrinho de Suraida também se tornou cristão. Eles oravam, adoravam e estudavam a palavra de Deus juntos. Entretanto, isso irou a mãe dele, cunhada de Suraida. Porém, no último ano, a cunhada de Suraida adoeceu durante o Ramadã. A cristã aproveitou a oportunidade para visitá-la e disse a ela que cresse em Jesus Cristo. Até cantou o hino “Quão Grande És Tu” na língua local. “Eu não sabia o tom nem a letra muito bem, mas cantei para ela”, disse.

A cunhada chorou ao ouvi-la e recebeu Jesus em seu coração. No mesmo dia, ela morreu pacificamente. “Eu sou grata por ela dizer que queria seguir a Jesus Cristo”, afirmou. Suraida pediu oração para que seu irmão, pai do sobrinho, também venha a fé em Jesus.

Fonte: Portas Abertas