Susanna, esposa do pastor malaio Raymond Koh, que desapareceu há mais de três anos
Susanna, esposa do pastor malaio Raymond Koh, que desapareceu há mais de três anos

Susanna, esposa do pastor malaio Raymond Koh, que desapareceu há mais de três anos, recebeu o Prêmio Internacional Mulheres de Coragem por sua determinação em lutar por justiça para o marido e outras vítimas de desaparecimento forçado e sequestro.

Koh foi sequestrado em plena luz do dia em uma operação de estilo militar em 13 de fevereiro de 2017, supostamente por agentes do Estado. Enquanto uma investigação pública da Comissão de Direitos Humanos da Malásia apontou para o envolvimento do governo, até agora as investigações não resolveram o caso do desaparecimento forçado de Koh.

Susanna está entre outras 11 mulheres que receberam o prêmio em 4 de março no Departamento de Estado dos Estados Unidos, em Washington.

Ela foi reconhecida por buscar ativamente a justiça durante a investigação pública de Suhakam sobre o desaparecimento de seu marido, bem como a da ativista de direitos humanos Amri Che Mat, disse o Departamento de Estado. “Apesar do assédio policial e das ameaças de morte, ela continua a defender seu marido e outras pessoas, não por causa de sua fé ou da deles, mas por causa de seus direitos como malaios”.

Na falta de clareza sobre o paradeiro do marido, no mês passado, Susanna Liew entrou com uma ação civil contra várias autoridades governamentais de alto nível. Ela disse que era o último recurso da família para entender o que aconteceu com o marido.

“Não temos alternativa senão recorrer à última instância da justiça e da verdade, nosso judiciário. Somente o tempo dirá se a verdade prevalecerá e todos os que praticaram esse ato hediondo contra um cidadão da Malásia serão levados em consideração pelos atos ilegais”, afirmou Susanna.

A Portas Abertas vem acompanhando o caso desde o início, dando todo suporte à Susanna e à família do pastor Koh. Um abaixo assinado já foi realizado, também, e entregue à embaixada da Malásia em vários países, inclusive no Brasil.

Fonte: Portas Abertas