O cristão Mohammadreza (Youhan) Omidi em frente à prisão de Evin. (Foto: Reprodução / Artigo 18)
O cristão Mohammadreza (Youhan) Omidi em frente à prisão de Evin. (Foto: Reprodução / Artigo 18)

O cristão iraniano convertido Mohammadreza (Youhan) Omidi foi libertado da prisão depois de cumprir sua pena reduzida de dois anos por “agir contra a segurança nacional ao organizar igrejas domésticas e promover o cristianismo ‘sionista’”.

Youhan, que tem 47 anos, foi libertado da Prisão Evin de Teerã na tarde de 18 de agosto. No dia seguinte, viajou para casa, na cidade de Rasht, para se reunir à esposa Maryam e às filhas adolescentes Sara e Sandra.

O cristão foi inicialmente condenado a 10 anos de prisão, mas sua sentença foi reduzida para dois anos em um novo julgamento em junho.

Embora inicialmente se acreditasse que a sentença adicional de dois anos de exílio interno de Youhan na cidade de Borazjan, tenha sido anulada, antes de sair da prisão, ele foi instruído a se apresentar em 15 dias para receber sua papelada e começar seu exílio.

Família

Ainda não é certo se o que lhe foi dito era a verdade nem está claro se sua esposa e filhas teriam permissão para se juntar a ele no exílio.

No mês passado, após cumprir seus dois anos de prisão, também houve alguma confusão sobre se sua sentença havia sido reduzida para apenas seis anos, como foi o caso de seus amigos Yousef Nadarkhani e Zaman (Saheb) Fadaee.

Após apelos por sua libertação, em meio a um surto de coronavírus na enfermaria da prisão onde estava encarcerado, Youhan foi finalmente libertado por volta das 13h30, horário local.

“Artigo18 congratula-se com a notícia da libertação de Youhan, embora acreditemos que ele foi preso injustamente e é preocupante saber que ele foi informado de que agora deve suportar um exílio de dois anos”, disse o diretor de defesa de Artigo 18.

“Esperamos também ver a libertação de outros prisioneiros de consciência que estão presos apenas por exercerem seu direito a atividades religiosas pacíficas; estamos especialmente preocupados com aqueles que estão sendo mantidos em prisões superlotadas e agora infestadas de coronavírus”.

Prisões de cristãos

Youhan foi preso ao lado de Yousef, Saheb, a esposa de Yousef e outro cristão convertido Mohammad Ali (Yasser) Mossayebzadeh em maio de 2016.

Os quatro homens foram acusados ​​de “agir contra a segurança nacional, organizando igrejas domésticas e promovendo o cristianismo ‘sionista'” e condenados a 10 anos de prisão em julho de 2017.

Um ano depois, após o fracasso em seus recursos, foram detidos com violência em suas casas, em vez de serem convocados a se apresentarem na prisão, como é o protocolo usual.

Em outubro de 2019, as petições de Yousef, Saheb e Youhan para novos julgamentos foram aceitas e, em junho de 2020, suas sentenças foram reduzidas.

Yasser, que na semana passada foi um dos 12 prisioneiros na Ala 8 da Prisão de Evin com teste positivo para Covid-19, não participou da oferta de novo julgamento.

Fonte: Guia-me