Cristãos perseguidos enfrentam a pandemia do coronavírus
Cristãos perseguidos enfrentam a pandemia do coronavírus

Dificuldades para obter a ajuda fornecida pela administração pública e rumores que os relacionam com a disseminação do vírus são algumas das situações que as minorias cristãs estão enfrentando em lugares diferentes, de acordo com as informações compiladas pela Portas Abertas.

A organização descreve essas situações como “sérias”. Eles explicam, por exemplo, que em locais onde a propagação do vírus já reduziu o suprimento de alimentos, a situação das minorias cristãs foi drasticamente afetada.

“Em alguns países com escassez de alimentos, aumento de preços e fechamento de tantas empresas, as pessoas já vulneráveis são as que sempre suportam o peso”, diz a Portas Abertas.

Além disso, “os cristãos são ignorados ou deixados até o fim quando a ajuda fornecida por entidades governamentais é distribuída”, acrescentam.

Uma das principais preocupações da entidade é a Síria , onde, com uma infraestrutura médica consumida pela guerra, “a epidemia pode reduzir o país a cinzas novamente “. “Sendo uma das minorias mais afetadas pela guerra, os cristãos já estão em uma posição difícil. Isso poderia erradicar a igreja inteira ”.

Segundo o Portas Abertas, em países da África Subsaariana, como Burkina Faso e Uganda, “o extremismo islâmico está espalhando o boato de que os cristãos são os principais transmissores do vírus”.

“Isso acrescenta mais rejeição à população cristã pela população em geral”, apontam.

Outro exemplo de discriminação contra os cristãos que a organização tem relatado, é o encaminhamento de pacientes diagnosticados com Covid-19 para cristãos profissionais de saúde exclusivamente .

Especificamente, eles informam sobre um país de maioria asiática e muçulmana (o nome do país não é mencionado por razões de segurança) onde “casos de coronavírus estão sendo atribuídos ao pessoal de saúde cristão, para que o pessoal muçulmano não precise enfrentar um possível contágio ” .

“Isso é muito sério porque, como está acontecendo em muitos países, não há material protetor suficiente”, acrescenta a entidade.

Apesar de todos esses casos de discriminação diária, o Portas Abertas também alega não ter notícias ” de qualquer governo que tenha tentado tirar proveito da situação para endurecer suas leis contra os cristãos”.

Folha Gospel com informações de Evangelical Focus